Clube Paulista de Desportos no Gelo Hoje é Terça-Feira, 17 de Julho de 2018
  Principal Modalidades O Clube Seja um Patrocinador Fale Conosco
Os Blue Birds do bobsled do Brasil tem o mariliense Edson Martins
Atleta da cidade está na seleção brasileira de bobsled que fecha o reconhecimento da pista olímpica de PyeongChang em etapa da Copa do Mundo, neste sábado (18/3)


Marília, como grande parte das cidades do interior de São Paulo, tem clima quente. Mas é desta cidade que vem Edson Martins, um dos integrantes da seleção brasileira de bobsled, esporte do gelo. Edson, que começou no atletismo, é veloz e forte (ganhou 5 kg desde que chegou à equipe), o que ajuda no trabalho de pusher (que empurra o trenó na largada) - também é breakman no trenó de dois. Edson Martins está na seleção brasileira de bobsled, os Blue Birds, desde 2013 e atualmente está em PyeongChang, na Coreia do Sul, juntamente com o piloto Edson Bindilatti e Erick Vianna, para testar a pista que sediará os Jogos Olímpicos de Inverno, de 9 a 25 de fevereiro de 2018.

O grupo, que está na Coreia desde o dia 28 de fevereiro, vai fechar o período de preparação na última etapa da Copa do Mundo e o primeiro evento-teste na pista olímpica. Eles usarão o trenó de dois (comprado da equipe suíça em 2013) na competição, sábado (18/3/2017), às 6 horas (horário de Brasília).

Edson Martins observa que a estrutura de treinamento do grupo, coordenado pela Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG), entre 2013 e 2017, mudou muito, para melhor. "Passamos a ter técnicas inglesas, trenó mais competitivo, treinos no gelo e isso tudo repercutiu nos resultados. Íamos competir... ficávamos em 10º no pushing. Em 2016, conseguimos resultados significativos - ficamos em terceiro, segundo e primeiro até. É uma evolução muito grande. Aprendemos a largar, somos mais técnicos, passamos a conhecer o esporte", resumiu Edson, que compõe a seleção no trenó de 4 e de 2.

Na temporada, o Brasil ganhou duas das oito etapas da Copa América, em Salt Lake City e em Lake Placid, e foi vice-campeão do circuito (com 572 pontos), atrás dos Estados Unidos, em janeiro (26/1/2017), no trenó de quatro. Bindilatti foi o segundo melhor piloto das Américas no combinado dos trenós de dois e de quatro. O Brasil chegou ao 16º lugar no ranking mundial da Federação Internacional de Bobsled e Skeleton - posição que classificaria a equipe para os Jogos de PyeongChang.

"Estamos conhecendo a pista da próxima Olimpíada e isso tem sido ótimo. É importante conhecer a inclinação e a distância da largada. Também podemos ajudar o piloto nas curvas. Todos os detalhes são importantes para nós. E achamos a pista muito boa. Não é difícil, mas vai exigir habilidade do piloto e dos atletas", avaliou Edson Martins.

A seleção brasileira de bobsled, chamada Blue Birds, tem Edson Bindilatti, Odirlei Pessoni, Edson Martins, Denis Parreira, Erick Vianna e Rafael Souza. As técnicas são Joanne Manning e Nicola Minichiello, da Grã-Bretanha.

Os atletas da modalidade têm o apoio do programa Solidariedade Olímpica, do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG).

Na rede
Siga o CPDG:
Newsletter
Cadastre seu e-mail para receber informações:
Apoio
Mais Informações
Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária da CPDG
Baiano, Edson Bindilatti é o piloto dos Blue Birds por vaga olímpica no bobsled em 2018
Rafael Souza, vem do Rio o mais jovem integrante da seleção brasileira de bobsled
Franca do basquete é também do bobsled e tem Odirlei Pessoni nos Blue Birds
Bobsled do Brasil tem Denis Parreiras, do calor do interior de São Paulo para o gelo
Tweets
Enquete
Em qual modalidade de Inverno o Brasil ganhará a sua 1ª medalha Olímpica?
Outros 43.2 %
Bobsled 25.7 %
Skeleton 18.5 %
Curling 9.27 %
Luge 3.09 %
 
Copyright © 2018- Clube Paulista de Desportos no Gelo. Todos os direitos reservados. Siga o CPDG